Itororo.net, o site da cidade de Itororó, em Bahia (Brasil)
Restaurante e Pizzaria Vitrine

Traduzir WEB

 Out   Novembro 2017   Dez

DSTQQSS
   1  2  3  4
  5  6  7  8  91011
12131415161718
19202122232425
2627282930 
Julianna Willis Technology
Banner
Monitored by eXternalTest
Feb
19
2013
Atletas de Itororó buscam patrocinio para sua carreria PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 
Noticias - Esportes
Escrito por Itororó.net   

Rafael_AtletasBuascamPAtrocinioDois nomes do Tênis de Mesa baiano, Rafael Rocha e Ueslei Neri, jovens de 19 anos, ambos da Cidade de Itororó, interior do estado, com um enorme talento, estão na modalidade há 10 anos e vem buscando um espaço e reconhecimento maior no âmbito nacional. Com muito trabalho, esforço e superação, graças também ao técnico Ednaldo Fernandes, conhecido como “Didi da Bahia”, eles treinam, lutam e remam contra a maré com a falta de apoio e as dificuldades que qualquer atleta individual no Brasil passa. O seu técnico, “Didi da Bahia”, muito conhecido no tênis de mesa, afirma que não é remunerado pelo seu trabalho e diz fazer isso por total paixão pelo esporte e por acreditar no trabalho dos dois jovens.

Com uma boa campanha no ano de 2012, os dois mostraram porque são os melhores da Bahia. Ambos participaram do Campeonato Baiano nível estadual (seis Copas) sagrando-se os melhores da temporada. A nível nacional participaram de três Copas Centro-Norte-Nordeste e o Campeonato Brasileiro, posicionando-se entre os 10 melhores do ranking olímpico nacional. Para Rafael Rocha e Ueslei Neri, não foi fácil chegar aonde chegaram, claro, não seria diferente. Com origens de famílias humildes residentes de Itororó, cidade pequena como qualquer outra que não valoriza muito uma modalidade que não é tão popular e pouco acessível, foi difícil chegar, evoluir e se desenvolver no tênis de mesa. Eles reclamam bastante do pouco reconhecimento, uma vez que é o único esporte que coloca Itororó no pódio nacional, já que os dois jovens já figuram entre os bem colocados no ranking olímpico. Por conta disso, foi criada a Associação dos Mesatenistas de Itororó (AMI) em 2010 e um ano após a sua criação passou a ser de Utilidade Pública. Ainda em 2010, a AMI foi agraciada pela doação da “Caderno 2 Produções Artísticas”, interveniente Petrobrás. A cidade foi intitulada como “Itororó, Capital do Tênis de mesa”.

Com o sucesso dos mesatenistas, no ano de 2011 houve algumas tentativas de projetos aliando educação e esporte. Entre eles o “PING PONG DA VIDA”, “ATLETA 10; UM SAQUE PARA O FUTURO” e o “FAZ ATLETA”.
Por serem atletas do interior fica bastante difícil buscar patrocinador ou grandes empresas que queiram investir numa carreira nacional. As empresas não veem o devido valor e falta planejamento para captação de recursos visto que o esporte é pouco acessível torna tudo mais complicado. Com isso vai ficando cada vez mais difícil financiar a carreira dos jovens talentos. Obstáculos que aparecem cada vez mais, tais como a perda do único local de treinamento que era oferecido a eles. O Clube Social de Itororó, que ficou disponível ao tênis de Mesa durante sete anos, não é um espaço ideal, a falta de área livre torna o ambiente pequeno, com isso dificulta o aprimoramento técnico e é perceptível a falta de recursos na sua estrutura física.

Rafael AtletasBuascamPAtrocinio

Em junho de 2011 os mesatenistas foram selecionados com a Bolsa Esporte. Rafael Rocha foi 8º colocado na categoria Nacional B pelo ranking olímpico nacional de 2010. Para 2012 não conseguiram uma seleção, principalmente pela demanda dos campeonatos a nível estadual e nacional, com isso a bolsa oferecida não foi suficiente para que participassem de todos os eventos, visto que exige o deslocamento para Salvador, além de material esportivo especializado, passagem para outros estados, hospedagem, alimentação, taxas de inscrição, entre outras despesas que qualquer atleta individual só arca com apoio de patrocínios ou investidores. Financiar uma carreira desse tipo gera muitos custos e enquanto isso os atletas aguardam a liberação da renovação da Bolsa para entrarem no ranking para 2013.

A avó do atleta Rafael Rocha, chamada Maria do Socorro Campos, uma senhora, aposentada e amante do Tênis de Mesa, deixou algumas de suas necessidades de lado, dando prioridade para que os dois atletas completassem a temporada e com isso alcançasse as metas do ano. Nos três eventos do 2º semestre 2012 não mediu esforços para isso. Nas duas Copas em Maceió e Natal foi ela que financiou os custos dos atletas. Além disso, temos que destacar também o trabalho, esforço e a incansável luta do atual Presidente da FBTM, Paulo Carneiro, que nunca deixa de acreditar nos talentos do estado e sempre trabalha pela busca de recursos para que a Bahia figure nos torneios. E para completar a temporada de 2012 dos atletas, faltava ainda a quinta etapa e a grande final para definir os melhores do ano no ranking. Após muito esforço das pessoas que ajudam os dois atletas, Rafael Rocha sagrou-se bicampeão e Ueslei Neri vice. No âmbito nacional alcançaram o 7º e 8º lugares mesmo sem participar de todos os eventos justamente pela falta de condições para viagens. A partir daí, os dois atletas receberam convites para treinar em clubes de tênis de mesa em São Paulo, o talento finalmente foi reconhecido, mas infelizmente ainda falta-lhes mesmo é um suporte financeiro para arcar com despesas numa cidade como São Paulo. Ficou inviável essa mudança para já.

AtletasBuascamPAtrocinio campeao2011 RAFAEL

É grande a diferença de estrutura em relação a atletas que treinam nos melhores CT’s do país, que participam de clinicas para aperfeiçoamento técnico, que tem material especializado e acompanhamento constante de treinadores com experiência e didática adequada. Muitas vezes para Rafael e Ueslei faltam até bolas e mesas, seja em qualquer espaço, visto que os dois vêm de famílias humildes e com poucas condições financeiras para a compra de qualquer material. O tênis de mesa é um esporte relativamente caro, tornando cada vez mais inviável para que suas famílias financiem tudo isso. O técnico “Didi” é uma figura ímpar na cidade, costuma valorizar demais o talento dos dois, além de brincar que para ganhar de ambos os atletas é difícil, pois o asfalto em Itororó é quente e tem que comer muita rapadura para conseguir isso – brinca o próprio com seus colegas que desafiam os jovens nos treinos.

Para 2013 existem alguns planos, a meta era a participação na “Clinica FRAN TT” agora no inicio do ano, mas não será mais possível justamente pela falta de recursos. Os atletas querem continuar a competir de igual para igual e trazer títulos para Bahia, mas precisam de patrocinadores, esse agora é o novo desafio e uma meta para apoiadores e federação. É a grande pauta em questão para o ano de 2013, a captação de investidores de grande porte e que possam realmente financiar a carreira de atletas amadores com potencial. Pelo ranking, eles podem pleitear o “FAZ ATLETA” e estão a espera justamente de uma empresa para os projetos já apresentados.

Também há um planejamento para a execução de projetos para construção de um Centro de Treinamento que muito vai beneficiar crianças e adolescentes da cidade, tirando-as das ruas, principalmente por ser comprovada estatisticamente uma das cidades mais violentas do Estado da Bahia. Além de já ser intitulada a cidade do tênis de mesa, é importante que as pessoas saibam investir no esporte e tornar ele ainda mais presente por lá. Além disso, as cidades circunvizinhas têm como referência maior o técnico “Didi” e muitos vão até lá para aprimorar os seus fundamentos nos treinamentos, citando como exemplo o atleta/técnico Marcos Brandão, da cidade de Itabuna, que fica a 110 quilômetros de Itororó.

É bem importante acreditar e torcer, além de muito trabalhar nesse ano de 2013, para que todos nossos atletas do estado em geral possam retornar e receber mais adeptos para a nossa jornada que é árdua e difícil. O Tênis de Mesa da Bahia talvez possa ser analisado de maneiras diferentes, já que a própria cidade de Itororó tem revelado atletas e que o potencial é fato comprovado, mesmo com a falta de estrutura e recursos, os atletas do nosso estado conseguem um destaque nacional. Atualmente o tênis de mesa é um dos esportes mais praticados no Brasil, nas escolas e em clubes, além do mais é uma atividade recreativa e que se for feito um investimento pode sim gerar atletas de alto nível. Acima de tudo, os nossos jovens precisam de apoio, incentivo e suporte para um futuro melhor, pois sabemos o quanto o esporte contribui para a boa formação dos mesmos, no aspecto educativo, de saúde e socialização. Que o governo estadual continue incentivando a prática esportiva e o desenvolvimento de futuros atletas da Bahia, é o que esperam federação, atletas, técnicos, simpatizantes e torcedores de Itororó e de toda a Bahia.

Fonte: FBTM

Comentários (0)add comment

Escreva seu Comentário
quote
bold
italicize
underline
strike
url
image
quote
quote
smile
wink
laugh
grin
angry
sad
shocked
cool
tongue
kiss
cry
menor | maior

security image
Escreva os caracteres mostrados


busy
 
Itororo.net, o site da cidade de Itororó, em Bahia (Brasil)
Restaurante e Pizzaria Vitrine
" Não te glories no dia de amanhã, porque não sabes o que trará luz. "

Provérbios 27:1



Itororó.net
Todos os direitos reservados.
 Copyright © 2007-2012 Itororó - BAHIA
  Política de PrivacidadeValidatión CSSValidatión XHTML 1.0Designed by
.